IMG_2276

Como eu entendi o que é cultura empresarial

Minha história com o Méliuz é longa, cheia de voltas e um amor maior à segunda vista

Conheci a empresa quando passei no processo seletivo do meu primeiríssimo estágio. Na época, o Pelando – a maior comunidade de promoções do Brasil – dividia o escritório com o Méliuz. Em novembro de 2015, eu não sabia muito o que eu queria como profissional de comunicação, mas sabia que eu precisava de gente no meu dia a dia para me ajudar a realizar meus projetos e me desenvolver profissionalmente .

Vim para Belo Horizonte em 2014, com uma mochila nas costas e família nenhuma em terras mineiras. Tudo isso para cursar Comunicação Social em uma das melhores universidades do país, a UFMG. Para alguém realmente comunicativa e sociável, a jornada de morar sozinha e se redescobrir em uma cidade completamente nova foi bastante solitária, até eu encontrar os amigos que hoje considero também minha família mineira.

Bom, mas voltando ao Méliuz, no meu tempo de Pelando, dividi o espaço com pessoas incríveis por mais de um ano, aprendendo a ser uma pessoa e uma profissional melhor todos os dias. Fui convidada oficialmente a fazer parte do time Méliuz como Estagiária de Produção de Conteúdo e não pensei duas vezes ao escolher experimentar uma nova possibilidade profissional.

Por mais que eu já conhecesse o time e o funcionamento do produto, eu nunca imaginaria o quão intensa seria a experiência de efetivamente trabalhar aqui. Juntamente com a minha adição na equipe, veio o novo escritório e também a expansão para as lojas físicas. Caí de paraquedas na tarefa de fazer curadoria do conteúdo visual do aplicativo, ajudando a torná-lo cada vez melhor para os nossos usuários.

Pouco tempo depois, a Dani, coordenadora de Branding, me propôs um novo desafio: cuidar da comunicação interna do Méliuz e de todos os seus três escritórios. A função caiu como uma luva, afinal unia duas coisas que eu gosto muito – conversar, escrever e planejar ações para pessoas que eu tanto admiro. Durante um tempo, fui responsável por produzir conteúdo para as três newsletters da empresa, além de pensar em ações de comunicação para realizarmos em nossas sedes.

Agora vamos dar uma pausa aqui rapidinho. Do jeito que eu escrevo, parece que eu era uma pessoa apaixonada por trabalhar em startup? Tsc, tsc. Todo trabalho tem falhas e sempre me incomodei com algumas coisas. Me perguntava se outros lugares, mais tradicionais, seriam iguais ou melhores, como seriam outras experiências profissionais dentro da comunicação.

Tais questionamentos me levaram a sair do Méliuz e tentar trilhar meu caminho dentro das agências de Publicidade. Como você está lendo esse texto, já deve saber que a experiência acabou sendo bem diferente do que eu imaginava. Como diz José Saramago: “É preciso sair da ilha para ver a ilha. Não nos vemos se não saímos de nós mesmos”. Em um mês fora, eu consegui entender mais sobre a tão famosa cultura do Méliuz do que em meses vivenciando-a dentro da empresa. Descobri coisas sobre mim que nunca tinha parado para pensar.

Durante todo o tempo que trabalhei em outro ambiente, senti uma inquietude crescer dentro de mim. Aquele sentimento de você não estar no seu lugar, no caminho certo, sabe? É claro que, com o passar do tempo, eu me adaptaria, mas estar ali me levaria para onde eu quero chegar? Com essas perguntas em mente, fiz uma lista de tudo o que eu queria na minha vida e, sinceramente, não foi surpresa nenhuma quando vi que boa parte do que havia escrito tinha uma carinha de Méliuz.

“Ser e conviver com pessoas inspiradoras”, “Me tornar uma mulher de destaque no cenário de tecnologia em BH”, “Gerenciar um time”, foram apenas algumas coisas que apareceram e que me fizeram ter a coragem de decidir voltar, por mais promissora que fosse a experiência que eu estava vivendo. Meu sonho grande me pedia para fazer parte de uma equipe fora da curva, que também se tornou minha grande família em Belo Horizonte.

Voltando, hoje sou Assistente de Marketing e continuo cuidando da comunicação interna e produção de conteúdo do Méliuz. O que mudou? Minha visão em relação à empresa, meu carinho pelas pessoas e o valor que tudo isso tem na minha vida e na minha carreira. Foi necessário eu sair do Méliuz para enxergar o quanto adoro trabalhar aqui. Tenho orgulho de dizer que faço parte (novamente) desse time bizarro.

 

Luiza de Simone

Assistente de Marketing