dani-fagundes-meliuz-2

Não sou boa com títulos

Quando entrei para o Méliuz, em fevereiro de 2016, não sabia ao certo para onde queria guiar minha carreira. Formada em jornalismo e relações públicas, eu tinha acabado de sair de um emprego e estava um pouco em crise com a área de comunicação. Vinha de um ritmo de três anos trabalhando em grandes empresas, sem muita possibilidade de crescimento. Acho que por isso fiquei tão interessada quando vi a oportunidade no Méliuz – era minha chance de fazer algo diferente e crescer na profissão. Tanto, que aceitei vir para o Méliuz para ser responsável pelo nosso blog – a ideia era produzir conteúdos interessantes para o nosso público. Além de escrever, eu revisava, editava e propunha pautas.

Pouco tempo depois que comecei, a empresa decidiu rever sua estratégia de marketing e o blog perdeu sua força e deixou de ter papel central na missão de atrair usuários. De repente, uma nova missão: estava em minhas mãos toda assessoria de imprensa e relacionamento com jornalistas (PR) em Minas Gerais. Na época, trabalhávamos com uma agência de São Paulo e existia uma lacuna grande entre o que acontecia e o que era divulgado. Em uma semana, eu montei um plano e consegui minha primeira grande matéria (foi muito bom acordar com a foto do jornal e os parabéns dos gestores). Foi ali que meu brilho nos olhos voltou e a comunicação foi retomando seu espaço na minha vida.

Vocês sabem como é forte um revival com uma paixão antiga, não é mesmo? Abracei a comunicação do Méliuz como um todo (e nunca mais a deixei escapar) – lancei a primeira newsletter interna (nosso famoso The Bizarro Times – Bizarro aqui é legal, tá gente?), escrevi textos para o nosso site, montei e-books, revisei conteúdos para blogs, criei orientações de comunicação, organizei a área de eventos, marquei entrevistas e consegui matérias em grandes veículos. Logo depois do meu início na assessoria, acabamos não renovando com a agência e eu assumi a área de PR por completo. Em seis meses, o Méliuz foi tema de 1.278 matérias jornalísticas em 299 veículos diferentes. O amor pela comunicação tinha voltado com força total e, dessa vez, era sólido o suficiente para ficar.

Foi em meio a esse relacionamento sério que tudo mudou novamente. Em janeiro, um novo gestor, uma área de marketing mais estruturada, novos colegas e uma equipe para coordenar. Admito que tive medo de mais esse desafio, de não dar conta. Mas sabe como é, né? O que a vida quer da gente é coragem e, assim, segui o baile. Foram meses de muito aprendizado, compartilhamentos e noites sem dormir. Ser gestor é uma tarefa extremamente difícil, pois demanda habilidades que não são ensinadas na faculdade. Ensinar o que se sabe, aprender o que não entende, delegar funções e, principalmente, manter todos envolvidos em uma mesma coreografia, respeitando o tempo de cada um. Às vezes é preciso mudar o ritmo, a formação, criar novos espaços para que a dança continue.

Hoje, um ano, cinco meses e dez dias após a minha chegada ao Méliuz, sou Coordenadora de Branding e gerencio uma equipe inteira. Juntos, somos responsáveis pelas redes sociais, PR, branding, audiovisual e comunicação interna do Méliuz. Já fizemos muito até aqui – temos três newsletters internas, saímos em milhares de matérias, nossos perfis são relevantes nas redes sociais (segue aí!), temos duas colunas semanais no blog e uma produção de vídeo em plena expansão – e ainda temos muito mais a fazer. E sabe o que é o melhor? Olhar para trás e ter certeza que escolhi o caminho certo. Olhar para frente e ver possibilidades reais de onde posso chegar. Olhar para o lado e saber que não estou sozinha, pois todos aqui no Méliuz têm a mesma oportunidade que tive e tenho de crescer.